O Siscoserv é um sistema informatizado, desenvolvido pelo Governo Federal como ferramenta para o aprimoramento das ações de estímulo, formulação, acompanhamento e aferição das políticas públicas relacionadas a serviços e intangíveis bem como para a orientação de estratégias empresariais de comércio exterior de serviços e intangíveis.

Como já divulgado em e-mails anteriores pelo Editorial ITC, relembramos que o Siscoserv se baseia na NBS (Nomenclatura Brasileira de Serviços) e é obrigatório:

I – às pessoas residentes e domiciliadas no Brasil que prestem serviços à residentes ou domiciliados no exterior ou que contratem serviços de residentes e domiciliados no exterior;

II – às pessoas físicas ou jurídicas, residentes ou domiciliadas no Brasil, que adquirem ou vendam o intangível, inclusive os direitos de propriedade intelectual, por meio de cessão, concessão, licenciamento ou por quaisquer outros meios admitidos em direito; e

III – às pessoas físicas ou jurídicas ou o responsável legal do ente despersonalizado, residente ou domiciliado no Brasil, que realize outras operações que produzam variações no patrimônio.

A obrigação de entrega ao Siscoserv foi escalonada por Capítulos da NBS, ou seja, as atividades entrarão aos poucos na obrigatoriedade conforme o Capítulo da NBS em que se enquadram.

A obrigatoriedade, conforme cronograma, iniciou para algumas atividades no mês de agosto de 2012, sendo que todos os capítulos da NBS foram inseridos até outubro de 2013.

Neste mês de outubro de 2013 entram na obrigatoriedade do Siscoserv os seguintes capítulos da NBS:
Tabela SISCOSERV
Com isso, todos os capítulos da NBS passam a estar obrigados a prestação de informação ao SISCOSERV, uma vez que todos já estão inclusos no cronograma de obrigatoriedade.

A relação completa do cronograma de obrigatoriedade pode ser encontrada no Anexo Único da Portaria Conjunta RFB/SCS nº 1908, de 19 de julho de 2012, alterada pela Portaria Conjunta RFB/SCS nº 232, de 26 de fevereiro de 2013.

Já a classificação NBS pode ser encontrada no Decreto nº 7708/2012 ou em manual editado pelo MDIC (mdic.gov.br).

Fonte: Orsitec – Assessoria contábil e empresarial

Via: Notícias Fiscais

This article has 2 comments

  1. Sharon

    Pessoal, alguém pode me ajudar? Estou com algumas dúvidas:

    – No Siscoserv eu tenho que informar todas as despesas com hospedagem? Alimentação? E transporte de todos os colocaboradores da empresa que vão prestar um serviço no exterior?

    – Se essas despesas estiverem em um idioma de dificil compreensão, como japonês, grego, hebraico, chines, dentre outras… precisa ter tradução juramentada? Ou eu posso simplemente solicitar que a pessoa que viajou diga o que é cada despesa?

    – Eu preciso ter cópia de todos esses documentos? Preciso tirar xerox de tudo isso?

    – Se uma pessoa de fora vem prestar um serviço aqui no Brasil e eu pago todas as despesas da mesma e, depois eu vou ser reembolsado pela empresa do exterior eu tenho que Declarar como Aquisição de Serviço ou teria que declarar como Venda? Pois não será uma receita minha e simplemente um reembolso de despesa.

    – E, se eu tenho uma prestação de serviço que começa hoje e acabará daqui 2 meses, e só efetuarei o pagamento no 4 mês, quando que eu tenho que declarar? Pois já passará os 3 meses do prazo. Ou eu posso declarar somente a prestação e depois eu efetuo o pagamento no RAS?

    Muito obrigada!!!!

    • Mauro Negruni

      Boa tarde Sharon,

      Sugiro que seja contratada a Decision IT para prestar uma consultoria a fim de eliminar tantas dúvidas.

      Atenciosamente,