Ao fazer uma compra em uma loja a partir desta quarta-feira, o consumidor de Porto Alegre poderá receber uma nota fiscal eletrônica (NF-e) em vez do tradicional cupom fiscal. Na tarde de hoje, a Panvel entregou o primeiro comprovante de compra emitido nesse formato para o secretário da Fazenda do Rio Grande do Sul, Odir Tonollier, em compra simbólica de medicamento na filial da rede de farmácias no bairro Rio Branco.

Além da Panvel, a nota fiscal eletrônica está sendo testada, em projeto piloto, em outras três redes varejistas no Estado: Lojas Renner, Paquetá e Lojas Colombo.

— Essa fase é importante para verificar se o modelo é adequado ou precisa sofrer alguma adaptação. A gente está discutindo para desenhar o processo de forma que ele seja ganha-ganha, facilitando o controle das operações tanto para as empresas quanto para o Fisco — afirma o subsecretário da Receita Estadual, Ricardo Neves Pereira.

As notas fiscais eletrônicas já são emitidas em operações entre empresas e de comércio eletrônico. Com a adoção do processo também no comércio tradicional, em vez do cupom fiscal, o cliente passa a receber uma Danfe (Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica), uma representação simplificada da NF-e, com o número do CPF ou do CNPJ do responsável pelo pagamento e um código de barra e número de 44 dígitos, além da lista de itens adquiridos e o valor total da compra.

O presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Porto Alegre (CDL), Gustavo Schifino, elogiou a inovação. Segundo ele, a mudança tem como prinicipal vantagem a mobilidade: dipensa o lojista de adquirir emissoras de cupons fiscais a cada vez que amplia os pontos de pagamento da loja e possibilita ao próprio vendedor fazer o desembaraço e liberar a mercadoria usando uma impressora comum.

— O cliente gosta da hora de comprar, mas não da espera para efetuar o pagamento. A nota eletrônica vai melhorar a experiência de compra, dando mais agilidade ao processo — destaca Schifino.

Para o consumidor, além da redução nas filas, também é uma vantagem receber no seu endereço de e-mail uma cópia da nota eletrônica entregue na hora da compra. Ele também poderá reimprimir o comprovante pelo site da Secretaria estadual da Fazenda ou no site da Nota Eletrônica caso a versão impressa orginal seja danificada ou extraviada.

De acordo com o subsecretário, a adoção do sistema é opcional entre os lojistas. Não há previsão de quando a nota eletrônica poderá se tornar obrigatória no comércio. As empresas que desejarem testar a modalidade devem se cadastrar junto à Receita Estadual.

 

Fonte:  Zero Hora – Clic RBS