A Panvel acaba de se tornar a primeira emissora da Nota Fiscal Eletrônica no Varejo, dentro do projeto piloto mantido pela Secretaria da Fazenda do Rio Grande do Sul.

A iniciativa prevê eliminar a necessidade de impressora fiscal nos pontos de venda, substituindo o cupom fiscal físico ao consumidor pela NF-e, como já ocorre nas operações entre empresas.

Um ganho de tempo e de dinheiro, conforme propõe análise do gerente de TI do Grupo Dimed Panvel, Carlos Dottori, referente só aos gastos com bobinas de papel para impressão de cupons fiscais.

“Em média, utilizamos 140 caixas de bobinas semanais, com custo de R$ 27 mil, ou seja, mais de R$ 300 mil por ano”, comenta o gerente. “Se reduzirmos este valor em 30% já estaremos falando de algo em torno de R$ 100 mil”, completa.

Sem falar que, segundo Dottori, a impressora fiscal é o equipamento mais caro de um PDV, e, com a eliminação de sua necessidade, o custo para montagem de um caixa pode cair em até 50%.

Armazenagem é outro ganho: sem papel, espaços físicos liberados, a velha – e boa- história.

Na Panvel, a estreia na NF-e para o consumidor ocorreu na farmácia da Avenida Goethe, em Porto Alegre, e a meta, nos próximos meses, é levar o serviço a todas as 240 unidades do Rio Grande do Sul.

Por hora, o modelo segue híbrido: para quem topa, vai a NF-e, que é enviada ao e-mail do consumidor, o que possibilita também o check out em dispositivos móveis.

Para quem exige o documento fiscal, ou em caso de indisponibilidade do sistema, ainda há a impressão de cupom físico.

Nas cerca de dez novas lojas que a Panvel pretende abrir este ano no estado, a meta é já iniciar conjugando o modelo tradicional à nota eletrônica ao consumidor.

Além destas, o objetivo da rede é abrir outras dez farmácias no Paraná, incrementando a lista geral que hoje soma 292 lojas na região Sul do país.

Do piloto da Sefaz-RS para a nota eletrônica ao consumidor, iniciado em fevereiro, também participam Renner, Paquetá e Colombo.

Na prática, o projeto prevê que, ao fazer uma compra, o consumidor receba uma NF-e contendo chave de acesso com dígitos para consultar o documento quando quiser, por meio do site da Nota Fiscal Eletrônica.

Segundo divulgado pela Sefaz, a nova nota é autorizada em tempo real, à semelhança das transações realizadas por meio das máquinas de cartões de crédito.

Durante a fase inicial do projeto, a emissão da NF-e no varejo será opcional, pois os comerciantes poderão continuar utilizando também o cupom fiscal, que poderá servir como contingência.

O objetivo do projeto, conforme o subsecretário da Receita Estadual, Ricardo Neves Pereira, é ter um sistema único de emissão de notas fiscais.

“Além de mais prático e menos oneroso, o novo modelo também conta com a transparência e segurança da NF-e”, ressalta o titular do fisco.

Ainda em fase de testes, a NF-e varejista deverá ser implantada oficialmente daqui a aproximadamente dois meses, sendo ampliada para outros setores.

O grupo

O grupo Dimed Panvel, que também é formado por distribuidora de medicamentos e perfumaria, conta com cerca de 76 colaboradores, entre diretos e terceiros, na TI.

Sob o comando de Dottori, o grupo tem também outros planos para este ano.

Um dos que encabeçam a lista, segundo o gerente de TI, é relativo a meios de pagamento via dispositivos móveis.

Fonte: Baguete.com.br