“É preciso perguntar se é normal que em um país se pague 24% [de impostos na Espanha] e em outro 48%”, comentou o dirigente do Milan

kaka

Milan e Real Madrid encerraram ontem as negociações pela contratação de Kaká (foto), que chegou a aceitar reduzir em 40% seu salário para acertar o retorno para a equipe italiana, a qual o brasileiro deixou em 2009.

O executivo-chefe do clube italiano, Adriano Galliani, garantiu que a operação não era “praticável”, devido aos diferentes tipos de tributação aplicáveis no futebol da Itália e da Espanha, que faziam com que as quantias ficassem insustentáveis para o Milan.

“Houve complicações decisivas. Há uma hora acabou a negociação. Kaká fez todos os esforços possíveis e inimagináveis, mas os problemas de tributação levaram o Real encerrar a negociação”, disse Galliani.

Fonte: IBPT