siscoservObrigação acessória que objetiva a informação sobre tomada de serviços no exterior por pessoas físicas e jurídicas, o Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços – Siscoserv tem causado dúvidas e preocupações pela sua complexidade e pelas multas elevadas atreladas à exigência fiscal.

Na intenção de esclarecer os processos do Sistema aos empresários, a Associação Comercial de São Paulo e o Conselho Brasileiro das Empresas Comerciais e Exportadoras promoveram, na última terça-feira, o seminário “Siscoserv: entenda como isso afeta o seu bolso!”.

No evento, o presidente do SESCON-SP, Sérgio Approbato Machado Jr., destacou a falta de objetividade e finalidade do Sistema, além de questionar o excessivo número de dados exigidos pelo governo, em múltiplas obrigações acessórias. “O contribuinte já não suporta mais tantas exigências”, disse ele, ao pontuar também as diversas versões do manual de orientação do Siscoserv.

Participaram do evento os presidentes da ACSP, Rogério Amato, do CECIEX, Roberto Ticoulat, da OAB SP, Marcos da Costa, o presidente do Conselho Deliberativo do SEBRAE-SP, Alencar Burti, o vice-presidente da ACSP e ex-presidente do SESCON-SP, José Maria Chapina Alcazar, o diretor de Políticas de Comércio e Serviços do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Maurício do Val, o chefe da divisão de Assuntos Internacionais da Receita Federal do Brasil, Rafael Santiago, o sócio-diretor do Canal Aduaneiro, Rogério Chebabi, e a presidente da empresa Dahll Comércio Internacional, Rita Campagnoli.

Fonte: Área de Conteúdo SESCON-SP