A filial brasileira da empresa de contabilidade Deloitte firmou um acordo nesta segunda-feira, 5, para pagar uma multa de US$ 8 milhões e encerrar as investigações de um órgão regulador norte-americano sobre relatórios de auditoria falsos que a consultoria teria tentado encobrir.

De acordo com o Wall Street Journal, a multa para a unidade brasileira da Deloitte é a maior já imposta pelo Conselho de Supervisão de Contabilidade de Empresas Públicas (PCAOB, na sigla em inglês), o regulador da indústria de auditoria dos EUA.

O PCAOB afirma que a auditoria de 2010 da Deloitte Brasil para a Gol Linhas Aéreas foi deficiente de “diversas maneiras”.

O conselho diz que o auditor não conseguiu provas suficientes de que a companhia aérea foi contabilizada com precisão em relação a seus depósitos de manutenção, por exemplo. No entanto, a Deloitte Brasil deu à empresa um parecer sem ressalvas.

Depois, a empresa alterou dezenas de documentos para ocultar as deficiências de auditoria quando o PCAOB examinou a auditoria da Gol como parte de uma inspeção regular do trabalho da Deloitte Brasil, relata a diretoria do órgão.

A PCAOB ainda afirma que a equipe da Deloitte Brasil mentiu para a organização quando a investigação da auditoria foi lançada.

Doze pessoas, incluindo ex-sócios e funcionários da Deloitte Brasil, foram penalizados no caso.
O WSJ relata que em uma conversa de março de 2014 citada nos documentos do PCAOB, um sócio sênior da Deloitte Brasil disse a um gerente sênior para remover documentos de seu computador e seu escritório para impedir que fossem entregues ao PCAOB.

O PCAOB completa que o sócio sênior não estava ciente de que o gerente sênior estava gravando a conversa.

“Qualquer evidência que você tenha disso… mantenha em outro lugar, mas não em sua máquina, não no escritório. Ok?”, disse o sócio.

Os 12 ex-funcionários da Deloitte Brasil que o PCAOB sancionou incluem o ex-líder de auditoria da empresa e ex-diretor de prática profissional nacional. A maioria foi suspensa ou impedida de trabalhar para empresas que auditam companhias públicas dos EUA.

No acordo, a Deloitte Brasil admitiu que violou padrões de controle de qualidade e não cooperou com a investigação do PCAOB. Essa é a primeira admissão do tipo por uma filial de uma empresa que integra o “big four” de contabilidade (EY, PwC, Deloitte e KPMG).

Além da multa, a Deloitte Brasil também concordou com outras sanções, incluindo a nomeação de um monitor independente e a proibição de aceitar novos trabalhos de auditoria até que o monitor confirme que a empresa tem feito progressos na solução de seus problemas.

Fonte: Baguete