O Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) de 2019, divulgado nesta quinta-feira (12) pelo Ministério do Planejamento, prevê que o salário mínimo passe dos atuais R$ 954 para R$ 1.002 no próximo ano. Com isso, o impacto fiscal do aumento do salário mínimo será de cerca de R$ 16,8 bilhões.

O ministro do Planejamento, Esteves Colnago, explicou que o impacto do aumento do salário mínimo nas contas do governo é de R$ 350 milhões para R$ 1 de reajuste.

Com a manutenção de déficits primários até 2021, o governo continuará registrando déficits nominais – após o pagamento de juros da dívida pública – na casa dos R$ 500 bilhões pelos próximos três anos.

Segundo Colnago, a previsão é de um déficit nominal de R$ 490 bilhões no ano que vem, ou 6,5% do PIB.

Em 2020, a previsão é de déficit nominal de R$ 510 bilhões, ou 6,3% do PIB. Já em 2021, a estimativa é que o resultado após o pagamento de juros seja negativo em R$ 522 bilhões, equivalente a 6,03% do PIB.

Fonte: GaúchaZH

Comente aqui:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.