A ECD é uma entrega anual que tem por objetivo a substituição da escrituração contábil em papel pela escrituração transmitida digitalmente, ou seja, corresponde à obrigação de transmitir, em versão digital, o arquivo do Livro Diário e seus auxiliares, o Livro Balancetes Diários, Balanços e fichas de lançamento comprobatórias dos assentamentos neles transcritos.

Desde que foi instituída, a ECD sofreu diversas modificações de um ano para outro. Com isso, antes de cada entrega, as empresas brasileiras precisam revisar as suas formas de registro e como irão prestar suas informações contábeis ao Fisco e a outros órgãos como as juntas comerciais. Em 2018, por exemplo, a RFB passou a exigir apresentação das informações sobre conglomerados econômicos tais como o período da escrituração contábil consolidada; identificação das empresas participantes e seus percentuais de participação dentro do período consolidado; informações relativas aos eventos societários das empresas consolidadas (aquisições, fusões ou cisões). Além disso, incluiu notas explicativas, que mesmo não sendo de preenchimento obrigatório, sinalizam o grau de detalhamento das informações que a RFB espera receber nas demonstrações contábeis.

Diante deste cenário, muitas empresas encontram dificuldade em apresentar suas obrigações de acordo com o regramento vigente do Fisco. O resultado é que até às 18 horas de 30 de maio de 2018, prestes a entrar no último dia para a entrega da ECD (Escrituração Contábil Digital), pouco mais de 762 mil empresas haviam enviado a obrigação referente às informações do ano calendário de 2017.

Mauro Negruni, Diretor de Conhecimento e Tecnologia da Decision IT aponta: “Se os números do ano passado se mantiverem, são esperadas aproximadamente ECDs de 840 mil empresas. Até momento foram entregues ECDs de aproximadamente 762 mil. Ou seja, no penúltimo dia de entrega, antes do feriado de Corpus Christi, quase 80 mil empresas ainda não fizeram suas entregas”.

Fonte: Conteúdo Decision IT S.A.