O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto de Almeida, afirmou nesta quinta-feira que aprovar uma reforma tributária vai exigir que a elite, empresários e governadores entrem em um consenso. “É uma chance de ouro para conseguir uma simplificação radical do sistema tributário”, disse durante evento do BTG Pactual hoje em São Paulo.

Segundo Mansueto, a reforma tributária não afeta diretamente a população porque não haverá aumento da carga tributária. Ele disse ainda que a reforma da Previdência não vai abrir espaço fiscal para aumentar o investimento do governo, mas a medida muda a dinâmica do gasto público. “A Previdência vai continuar a ser a despesa que mais crescerá ao longo dos próximos anos”, disse.

Mansueto afirmou que o Brasil ainda tem um ajuste de cerca de R$ 300 bilhões a ser feito e o governo terá de cortar despesas não financeiras em 1,5 ponto do Produto Interno Bruto (PIB). “Uma parcela do gasto hoje obrigatório vai ter que deixar de ser obrigatório”, disse. “Mas tirar investimento da despesa não é solução”, afirmou, defendendo que investimento público tem de estar dentro do limite do teto de gastos.

Ele considera que será difícil cumprir o teto, mas “há chance”. Para isso, diz o secretário, será preciso rever contratação de servidor e segurar reajustes nos próximos dois anos.

Fonte: Valor Econômico