Rio de Janeiro — A aprovação da reforma tributária, uma das promessas do atual governo, deve ficar para o ano que vem, segundo uma fonte da área econômica, citando a complexidade do tema e o calendário apertado no Congresso.
A prioridade número um do governo é conseguir concluir a reforma da Previdência, ainda em discussão no Senado, e o segundo passo será o encaminhamento do pacto federativo, disse a fonte, em condição de anonimato.
“O acordo (com as lideranças no Congresso) é iniciar o pacto federativo assim que acabar a Previdência”, afirmou a fonte à Reuters. “Alguma coisa da reforma (tributária) pode ser esse ano, mas não toda”, acrescentou.
Parlamentar da base do governo na Câmara confirmou que só será possível votar o tema tributário no ano que vem, e que este é o acordo na mesa.
“Estão costurando um acordo para fechar a distribuição (dos recursos) da cessão onerosa”, pontuou a fonte, em referência a um impasse que está travando a apreciação em segundo turno da reforma da Previdência no Senado.
“Acho até difícil conseguir esse ano votar o novo pacto federativo”, emendou.
Fonte: Exame

Comente aqui:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.