De acordo com o MPMG, crime seria comandado por profissionais que atuam como corretores de milho, soja e feijão. Há 109 mandados, sendo 73 em MG.

Uma operação de combate a um milionário esquema de sonegação de impostos é realizada, na manhã desta terça-feira (10), em oito estados do Brasil e no Distrito Federal (DF). De acordo com o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), são cumpridos 109 mandados de busca e apreensão e quebra de sigilo bancário e de comunicação, sendo 73 em Minas.

O crime seria comandado por profissionais que atuam como corretores de milho, soja e feijão. Batizada de “Quem viver verá”, a operação é uma força-tarefa que envolve as Receitas Estaduais e Federal, o Ministério Público e as polícias Civil e Militar.

Só em Unaí, na Região Noroeste de Minas Gerais, são cumpridos 38 mandados. Nesta cidade, até as 8h, uma pessoa havia sido presa por porte ilegal de arma.

Em Belo Horizonte, há um alvo da operação. Segundo o MPMG, o objetivo da ação é recuperar aos cofres públicos milhões de reais sonegados no setor de grãos.

Veja onde são cumpridos mandados:

  • Minas Gerais: 73 alvos;
  • Goiás: 15;
  • São Paulo: 9;
  • DF: 5;
  • Paraná: 2;
  • Bahia: 2;
  • Rio de Janeiro: 1;
  • Rio Grande do Sul: 1;
  • Tocantins: 1.

O esquema

De acordo com o MPMG, a operação é a terceira fase de um trabalho iniciado em 2017, quando foi identificado um grande polo de estabelecimentos de fachada criados para a emissão de notas fiscais frias, de grãos, no Noroeste de Minas Gerais. A primeira fase foi focada nas empresas e, a segunda, nos produtores ruais.

A estimativa é que a fraude nos fiscos tenha tido uma movimentação de R$ 1 bilhão, por ano, em notas frias.

As investigações apontam que, em parceria com produtores, os corretores são os protagonistas do esquema. Eles seriam responsáveis pelas negociações com os produtores rurais e com as indústrias que compram os grãos, remunerando as empresas que emitem as notas frias.

Fonte: G1

Comente aqui:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.