A Secretaria da Economia e a Polícia Civil, por intermédio da Decar – Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Cargas, deflagraram hoje (09/09) mais uma fase da “Operação Concorrência do Mal”, de combate ao comércio ilegal de produtos originários de roubo/furto de cargas e sonegações fiscais. Foram apreendidos dois caminhões, que estão no pátio do Complexo Fazendário da Economia, com 21 mil garrafas de bebida alcoólica. A empresa, que já vinha sendo fiscalizada, estava utilizando cerca de R$ 1 milhão em créditos fiscais de forma irregular.

Vários levantamentos investigativos foram realizados entre os meses de julho e agosto deste ano, tendo sido identificados vários estabelecimentos comerciais nos quais os empresários negociam produtos de limpeza e bebidas alcoólicas adquiridos de outras unidades da federação, frutos de roubo/furto de cargas e sonegação fiscal, vendendo tais mercadorias abaixo dos preços de mercado. “A ação da Decar com a Secretaria da Economia é feita após averiguações e levantamentos. Esse trabalho conjunto tem sido altamente produtivo e, sendo assim, pessoas que trabalham dessa forma vão ter que repensar sua forma de agir”, destaca o delegado Regional de Fiscalização de Goiânia, auditor fiscal Gerson Segundo de Almeida.

Um empresário foi preso e mais de 30.000 litros de aguardente recuperadas em Bela Vista de Goiás. “Ele estava saindo com essa mercadoria sem a documentação fiscal. O prejuízo para os cofres públicos é da ordem de R$ 120 mil em imposto, fora as multas que serão geradas. Essa empresa chegou a movimentar R$ 100 milhões num período de três anos. Trata-se de uma atacadista de Bela Vista de Goiás, que está sendo fiscalizada, e vai gerar um auto de infração sobre essa movimentação de aproximadamente R$ 1,1 milhão só de ICMS”, explica Gerson Segundo de Almeida.

Auditores Fiscais revelam que o comércio de bebidas, no atacado, estava suspenso por ação da força-tarefa, mas o empresário prosseguiu com as atividades delitivas. As ações policiais e auditorias do Fisco Estadual e Apoio Fiscal Fazendário, alusivas à Operação Concorrência do Mal, prosseguem até o final do ano. O cidadão que se sentir lesado pode fazer denúncia na Ouvidoria da Secretaria da Economia, no site da Pasta, ou entrar em contato com a Polícia Civil. “Nós temos muitas denúncias chegando a respeito desse tipo de assunto”, salienta o delegado Gerson de Almeida.

Fonte: SEFAZ GO

Comente aqui:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.