Em Santa Catarina, o momento é de retomada econômica. As vendas do comércio ampliado catarinense tiveram crescimento pelo terceiro mês consecutivo. Em julho, o segmento teve alta de 3,5% frente a junho, que registrou acréscimo de 5,7%. Já em maio o salto foi de 23,8%. Os dados são da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), divulgada nesta quinta-feira, 10, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Santa Catarina apresentou o melhor desempenho do Centro Sul do país (IBGE considera os estados do Sul e Sudeste, exceto região Norte de Minas Gerais) e está na quinta posição nacional de crescimento no ano. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, o volume de vendas do comércio catarinense cresceu 7,4% e, no acumulado de 12 meses, teve alta de 4,3%.

“Nosso estado dá sinais da recuperação econômica em todos os segmentos. No comércio, desde maio, as vendas estão crescendo. Esse é o resultado do esforço do Governo do Estado de assegurar a volta das atividades econômicas com responsabilidade, respeitando os protocolos. Assim, garantimos o emprego e renda, sem descuidar da nossa prioridade: preservar vidas”, afirma o governador Carlos Moisés.

Desempenhos dos setores

Os desempenhos setoriais positivos alcançados por SC em julho frente ao mesmo mês de 2019, em volume de vendas, foram de móveis e eletrodoméstico (26,5%), hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (25,8%), materiais de construção (24,4%) e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (10,5%).

Para o economista da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), Paulo Zoldan, os dados divulgados pelo IBGE na pesquisa PMC confirmam a tendência de melhora do comércio catarinense.

“Mesmo apresentado uma retração no acumulado do ano, em relação ao mesmo período do ano passado, o comércio ampliado de Santa Catarina está com índices bem melhores que o nacional. O varejo no estado tem se destacado nos últimos anos, crescendo e ganhando participação, inclusive, em relação ao país. Isso é um bom indicativo para o desenvolvimento da nossa economia”, frisa o economista.

No Brasil, no comércio ampliado, que inclui veículos, motos, partes e peças e de material de construção, o volume de vendas cresceu 7,2% em julho em relação ao mês anterior e teve alta de 1,6% em relação a junho de 2019. Na média brasileira, o setor apresentou queda de 6,2% no acúmulo do ano e de 1,9% nos últimos 12 meses

Fonte: SEFAZ SC

Comente aqui:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.