O Departamento de Justiça dos Estados Unidos anunciou que John McAfee, criador do antivírus que leva seu nome, foi preso na Espanha quando tentava embarcar para a Turquia. Ele foi formalmente acusado por sonegação fiscal.

Após a prisão, a Divisão de Impostos dos Estados Unidos (SEC, na sigla em inglês) tornou pública uma acusação de 15 de junho segundo a qual McAfee não teria apresentado suas declarações de imposto de renda de 2014 a 2018, apesar de ter faturado milhões com criptomoedas, serviços de consultoria, palestras e venda dos direitos da história de sua vida para um documentário.

Especificamente sobre as criptomoedas, a SEC detalhou em um comunicado à imprensa que a sonegação se refere a ofertas iniciais de moedas (ICOs) promovidas por McAfee via Twitter sem que ele revelasse que estava recebendo até US$ 23 milhões por isso.

Acusado de ajudar a transferir e converter em dinheiro as criptomoedas recebidas, Jimmy Watson Jr., guarda-costas do empresário, foi indiciado como cúmplice no processo.

Se condenado à pena máxima por todas as acusações que lhe são imputadas, McAfee pode pegar 26 anos de prisão, sendo 5 por cada indiciamento e 1 pelo crime de não ter apresentado suas declarações de imposto de renda. Ele ficará detido na Espanha até ser extraditado para os Estados Unidos.

Após vender seu antivírus e a suíte de produtos de segurança em 2001, McAfee fez diversos investimentos, como empresas farmacêuticas, propriedades de luxo e incubadoras de startups ligadas a segurança corporativa e smartphones. Além dos processos fiscais, o controvertido milionário enfrenta problemas legais, como a suspeita de ter matado um homem a tiros em Belize em 2012, posse e fabricação de drogas, entrada ilegal na Guatemala e direção sob efeito de álcool.

Fonte: TecMundo

Comente aqui:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.