A agência de classificação de risco Moody’s fez um estudo que prevê que, com a entrada em funcionamento do PIX, o novo sistema de pagamentos e transferências, os bancos deverão perder até 8% da receita atual com tarifas.

“O PIX será um concorrente direto dos sistemas de pagamento existentes, incluindo TED e pagamentos com cartão de débito por causa de seu sistema digital mais barato e rápido”, destacou a Moody’s, em relatório divulgado nesta terça-feira (6).

O levantamento foi feita com base nos dados acumulados de 12 meses até junho. De acordo com a agência, desde 2017, as transferências via TED cresceram 31% em média.

A empresa destacou que os bancos cobram atualmente uma taxa fixa de transferências de dinheiro entre contas individuais e que o PIX, por determinação do Banco Central, não cobrará taxas de pessoas físicas, incluindo empresários individuais.

A expectativa é que o sistema seja o grande substituto de DOCs e TEDs, por ser gratuito, instantâneo e estar disponível a qualquer hora, sete dias por semana. A previsão é que a maioria das transações seja aprovada e finalizada em até 10 segundos.

Na última sexta-feira (2), o diretor executivo de Inovação, Produtos e Serviços Bancários da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Leandro Vilain, minimizou os efeitos na receita dos bancos com a entrada em vigor do PIX.

“Dados do sistema financeiro mostram que, em 2018, 62% das contas transacionais já são isentas de tarifa por regulação própria. Os 38% que sobram é pacote de serviços, o cliente paga para ter maiores opções por transações ou serviços. Portanto, o efeito do PIX de serviços avulsos é limitado”, disse Vilain, citando também a perspectiva de redução do custo de logística de distribuição de dinheiro.

A Moody’s destaca que o PIX chega no momento em que as margens de lucro dos bancos estão sendo pressionadas por taxas de juros básicos em mínimas históricas e por um aumento das despesas com provisionamento para devedores duvidosos.

Chaves PIX

Para utilização do PIX, disponível a partir do dia 16 de novembro em todo o país, o usuário precisará de fazer o cadastro da chave PIX. Mais de 600 instituições financeiras já começara o processo de registro.

De acordo com dados do Banco Central divulgados nesta terça-feira (6), que já foram recebidos 10.148.629 de cadastros de “chaves” de identificação para uso do PIX, o que o BC considera um sucesso para nova tecnologia.

Para cadastrar a “chave PIX”, que vai identificar um cliente e a conta bancária dele no sistema, basta acessar o app do seu banco e selecionar a opção PIX.

essa chave poderá ser um número de celular, um e-mail, o CPF ou o CNPJ. O cadastramento é necessário para aqueles que pretendem utilizar o PIX em transações financeiras, mas não é obrigatório.

Fonte: Portal Contábeis

Comente aqui:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.