O governador Romeu Zema participou, nesta quarta-feira (18/11), por videoconferência, da abertura do 8º Encontro de Coordenação Orçamentária, Financeira e Fiscal Intergovernamental, criado para promover o intercâmbio de informações entre as gestões financeira, fiscal e de orçamento de dez países. É a primeira vez que Minas Gerais sedia este evento internacional.

O encontro, 100% on-line, é organizado pela Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais, em parceria com o Grupo de Gestores das Finanças Estaduais (Gefin) e o Foro Ibero-americano de Coordenação Orçamentária e Fiscal Intergovernamental.

Durante três dias, especialistas brasileiros e de outros nove países vão debater temas focados especialmente nas áreas fiscal, de planejamento e orçamento, trocando experiências e informações necessárias à gestão eficiente da administração pública.

Reformas

Romeu Zema lembrou a grave situação de Minas quando assumiu o governo e destacou a importância da troca de conhecimento entre os países para ajudar a encontrar soluções para tornar o Estado mais eficiente. Zema ainda pontuou sobre o trabalho desenvolvido por sua gestão, que tem alcançado resultados positivos na Educação, Segurança e no controle da pandemia, e defendeu a necessidade de reformas estruturantes.

“Em Minas temos conseguido grandes avanços, mas são as reformas estruturais que vão, efetivamente, corrigir o problema fiscal. Hoje, a receita sobe de escada e as despesas, de elevador. Já avançamos com a reforma da Previdência, mas precisamos de uma reforma administrativa e uma reforma tributária que simplifique a vida de quem trabalha, de quem empreende e gera empregos”, afirmou o governador, lembrando que muitas leis do país estão ultrapassadas para a situação em que vivemos.

Equilíbrio fiscal

Para o secretário de Fazenda, Gustavo Barbosa, o maior desafio dos gestores públicos é encontrar o equilíbrio fiscal. Ele também destacou a necessidade de todos os brasileiros se envolverem mais no tema e assimilarem os conceitos econômicos como valores da sociedade.

“É preciso que a sociedade brasileira enxergue que é errado gastar mais do que se arrecada, e cobre dos governantes esse equilíbrio. É necessário que haja um entendimento que o desequilíbrio das contas públicas é um prejuízo para toda a população”, disse.

Protagonismo mineiro

A oitava edição do Encontro tem sido marcada pelo ineditismo. Além do evento ser 100% on-line e o fato de ter Minas Gerais como sede, é a primeira vez que o Foro Ibero-americano de Coordenação Orçamentária Financeira e Fiscal Intergovernamental é presidido por uma brasileira, especificamente, por uma mineira.

Servidora de carreira da Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais, Célia Maria Silva Carvalho está à frente do Foro Ibero-americano desde 2019 e acumula ainda o cargo de presidente do Grupo de Gestores de Finanças Estaduais (GEFIN).

No discurso de abertura do evento internacional, ela destacou a importância do Foro, uma instituição que tem como meta contribuir para o desenvolvimento econômico da América Latina e Caribe, reforçando as relações entre os países membros e as demais nações do mundo.

“A cada evento do Foro buscamos propiciar um diálogo sobre os principais desafios e oportunidades que, compartilhados, fortalecem as nossas instituições em nossos países. Isso só é possível, é claro, se conseguirmos unir esforços e pensar juntos em soluções para os problemas em comum que enfrentamos”, enfatizou.

Até sexta-feira

O Encontro Ibero-americano, que também propõe ampla discussão sobre os impactos da covid-19 nas receitas e despesas, segue até até a próxima sexta-feira (20/11), com uma série de palestras em sua programação.

Fonte: SEFAZ/MG

Comente aqui:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.