A arrecadação total das Receitas Federais atingiu, em novembro de 2021, o valor de R$ 157 bilhões e 340 milhões, registrando acréscimo real (IPCA) de 1,41% em relação a novembro de 2020. No período acumulado de janeiro a novembro de 2021, a arrecadação alcançou o valor de R$ 1 trilhão, 684 bilhões e 913 milhões, representando um acréscimo pelo IPCA de 18,13%. Importante observar que se trata do melhor desempenho arrecadatório desde 2000, para o período acumulado. O mesmo acontecendo para os meses de fevereiro, março, abril, maio, julho, agosto e setembro de 2021.

Quanto às Receitas Administradas pela RFB, o valor arrecadado, em novembro de 2021, foi de R$ 152 bilhões e 546 milhões, representando um acréscimo real (IPCA) de 0,42%, enquanto que no período acumulado de janeiro a novembro de 2021, a arrecadação alcançou R$ 1 trilhão, 603 bilhões e 30 milhões, registrando acréscimo real (IPCA) de 16,86%.

O resultado pode ser explicado, principalmente, pelos fatores não recorrentes, como recolhimentos extraordinários de, aproximadamente, R$ 39 bilhões do IRPJ/CSLL de janeiro a novembro de 2021 e pelos recolhimentos extraordinários de R$ 6,5 bilhões no mesmo período do ano anterior. Além disso, as compensações cresceram 16% no período acumulado. Na tabela abaixo estão discriminados os principais fatores que concorreram para o resultado do mês e do período acumulado.

Clique aqui para acessar o material completo.

Fonte: Receita Federal

Comente aqui:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.