A Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados aprovou na quarta-feira (4) o Projeto de Lei 5119/16, que torna obrigatória a inclusão de medicamentos destinados ao tratamento de câncer no rol de produtos isentos do pagamento de contribuições sociais (PIS/Pasep e Cofins).

O relator no colegiado, deputado Dr. Luiz Antonio Teixeira Jr. (PP-RJ), recomendou a aprovação. “A redução da carga tributária e o compromisso dos fabricantes e importadores de medicamentos em repassar o benefício fiscal para o preço final ajudam a ampliar o acesso à prevenção e ao combate a neoplasias”, analisou.

O texto altera a Lei 10.147/00, que prevê benefício fiscal a fim de baixar preços de remédios. As alíquotas podem ser inclusive zeradas. Cabe ao Ministério da Saúde elaborar a lista daqueles itens submetidos a regime tributário especial.

“A necessidade de incremento na arrecadação federal pode influenciar a escolha dos produtos contemplados com o benefício fiscal, no sentido de tornar a lista mais restritiva”, disse o autor da proposta, o então deputado Caio Nárcio (MG). Ele morreu em 2020 em decorrência de complicações causadas pela Covid-19.

Tramitação

O projeto tramita em caráter conclusivo e ainda será analisado pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Comente aqui:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.